Monday, August 10, 2009

Pintura a Óleo by Alexandre M. ( In Pain T )

(Monólogos à Mágoa )

Fugir de alguém


A exuberância frásica
Detona sobre o branco
Espanto

No poema coube a noite
Na manhã a promessa

Almejava-te sobre ferros
Alpondras cinza
E decretos sem lei
Fui laje, papel
Whisky
Trono sem rei

Saia varina, vareja
Cabelos de claro pinho
Suor
Sabor cereja

No vestido cândido
A marca de Orpheu
repouso ébrio ,
Talos ,
Cabelo meu

Assim porfio
Menos tão afável
Desafio

Cambaleio sobe o pasto
A disforme vontade

Grasno aos poços
Ponho T’s nas campas
Viagens tantas
Sem mim
Passageiro

Rogo o valor de outros
Tão corpos mortos
De uma cidadela
Sem fim

Vejo pela fenda a miragem
Paisagem vertical
De meia sobra centimetra

E mato , porque matar
É o começo
De um alguém com final
E assim,
Aprendo a fugir
Fujo do tempo
Fujo das manhas
E manhãs
Fujo dos leões
Lobos
Sapos e rãs

Fujo de mim
Porque é o principio
De não me ausentar
De alguém ...

3 comments:

Sofia Carvalho said...

Acabas sempre os teus poemas em GRANDE! fica-me sempre algo da tua escrita a martelar- me na cabeça...
..."Fujo de mim
Porque é o principio
De não me ausentar
De alguém ..."

O desenho está fantástico!!!
Parabéns, ALEXANDRE!!!

Telmo said...

Belissima e expressiva pintura a acompanhar mais um belo poema recheado de palavras expressivas que exprimem essa mágoa da qual tentamos fugir mas que acabamos de o não conseguir, talvez sim fugir de nós mas não conseguimos nos ausentar..de alguém...

Márcio Kindermann said...

Pintura a óleo Fantastica, muito expressiva. o poema cala forte.
Abç, gostei daqui, voltarei.